sexta-feira, 20 de janeiro de 2017

Revista Linha Mestra nº 30 - 20º COLE



Olá, amig@s!

Está on-line o nº 30 (20º Cole) da Linha Mestra.
Segue-se o link:

https://linhamestra30.wordpress.com/

Boa leitura!

Diretoria ALB
Biênio 2016/2018

sexta-feira, 23 de dezembro de 2016

Estaremos de recesso de 23/12/16 a 01/01/17


Natal é época de renascimento; é época de reacender o fogo da vida, de renovar os sonhos e metas para o ano novo que já se anuncia. 

É época também de celebrar todas as conquistas vividas e os objetivos alcançados. Esta é a época da virada, é tempo de planejar um ano ainda melhor do que este que está dando adeus. 

É tempo de reafirmar parcerias, e olhar para a frente com determinação e otimismo, levando conosco todas as lições que aprendemos.

Desejamos a você um Feliz Natal e um Ano Novo muito próspero. Esperamos, por mais um ano, compartilhar grandes momentos e conquistas!

Diretoria ALB
Biênio 2016/2018

sábado, 17 de dezembro de 2016

Comissão de Educação aprova a Política Nacional de Leitura e Escrita

Agora o projeto seguirá a Plenário, para decisão final
A Comissão de Educação, Cultura e Esporte (CE) aprovou, nesta quarta-feira (14), o projeto de lei (PLS 212/2016) que institui a Política Nacional de Leitura e Escrita. Segundo o texto, da senadora Fátima Bezerra (PT-RN), a política deve funcionar como uma estratégia permanente para promover o livro, a leitura, a escrita, a literatura e as bibliotecas de acesso público no Brasil.
O relatório, favorável à matéria, preparado pelo senador Paulo Paim (PT-RS), foi lido por Dário Berger (PMDB-SC).  Agora o projeto seguirá a Plenário, para decisão final. De acordo com Fátima Bezerra, o objetivo principal da Política Nacional de Leitura e Escrita será democratizar o acesso ao livro e aos diversos suportes da leitura por meio de bibliotecas de acesso público, dentre outros espaços de incentivo à leitura, de forma a ampliar os acervos físicos e digitais e as condições de acessibilidade.
“Este projeto configura as bases institucionais para superarmos o caráter descontinuado e pulverizado com que as iniciativas de estímulo à leitura têm sido historicamente implementadas em nosso país”, argumentou a autora na justificação da proposta.
Diretrizes
A política terá como diretrizes a universalização do direito ao acesso ao livro, à leitura, à escrita, à literatura e às bibliotecas; o fortalecimento do Sistema Nacional de Bibliotecas Públicas e articulação com as demais políticas de estímulo à leitura, ao conhecimento, às tecnologias e ao desenvolvimento educacional, cultural e social do País, especialmente com a Política Nacional do Livro.
O projeto estabelece que o Poder Executivo deverá elaborar o Plano Nacional de Leitura e Escrita. O parecer favorável do relator altera a periodicidade da elaboração desse plano, que passar a ser decenal, não mais de quatro em quatro anos. O relatório também alterou a data de entrega desse plano, que será até os seis primeiros meses do mandato presidencial, ao invés de ser até o fim do primeiro ano do mandato de acordo com o projeto original.
“Viva leitura”
A proposta estabelece ainda a criação do Prêmio Viva Leitura, que será concedido no âmbito da Política Nacional de Leitura e Escrita com o objetivo de estimular, fomentar e reconhecer as melhores experiências que promovam o livro, a leitura, a escrita, a literatura e as bibliotecas.

sexta-feira, 16 de dezembro de 2016

V Congresso Internacional de Literatura Infantil e Juvenil do CELLIJ



Queridos amigos,
É com muito prazer que informo que o site do V Congresso Internacional de Literatura Infantil e Juvenil do CELLIJ já está no ar.
Peço por favor, que nos ajude com a divulgação:http://www2.fct.unesp.br/congresso/cellij/
Logo, logo colocaremos as ementas dos simpósios temáticos e as inscrições começam no dia 15/01/2017.
Em 2017 nos encontraremos em Presidente Prudente, aguardo todos vocês!!!!

domingo, 27 de novembro de 2016

Faculdade de Educação recebe versão manuscrita do livro Pedagogia do Oprimido de Paulo Freire

Entrega do exemplar foi realizada durante o evento Jornadas Político-pedagógicas Paulo Freire


  • Livro manuscrito Pedagogia do Oprimido de Paulo Freire
  • Da esquerda para direita: Debora Mazza, Simone Oliveira, Nima Spigolon e Dirce Zan
  • Abertura do evento com participação da Profa. Dra. Raquel Meneguello
  • Exposição com obras de Paulo Freire organizada pela biblioteca da FE-Unicamp
No último dia 14 de outubro, a Faculdade de Educação recebeu cópia dos manuscritos, em fac-simile, do livro Pedagogia do Oprimido de Paulo Freire. A entrega aconteceu durante o evento Jornadas Político-pedagógicas Paulo Freire, organizado pelo Grupo de Estudos e Pesquisas em Políticas Públicas e Educação (GPPE) e  pelo Grupo de Estudos e Pesquisas em Educação de Jovens e Adultos (GEPEJA).
A abertura do evento contou com a presença da Profa. Dra. Raquel Meneguello, Pró-Reitora de Pós-Graduação da Unicamp, Profa. Dra. Dirce Djanira Pacheco e Zan, Diretora da FE-Unicamp,  Simone Lucas G. de Oliveira, Diretora da Biblioteca da FE-Unicamp, Profa. Dra. Alexandrina Monteiro, Coordenadora do Curso de Licenciatura Integrada em Química e Física, além das professoras Nima Imaculada Spigolon e Débora Mazza, organizadoras do evento.
A obra da Paulo Freire foi publicada pela primeira vez em inglês e hoje encontra-se em sua 50ª edição em português e tornou-se uma das obras mais importantes do século XX. Segundo Freire este livro é dedicado "aos esfarrapados do mundo e aos que neles se descobrem e, assim descobrindo-se, com eles sofrem, mas, sobretudo, com eles lutam". 
Além do evento que teve como objetivo homenagear o autor e discutir as suas obras, a biblioteca Prof. Joel Martins da FE-Unicamp, organizou uma exposição que reúne algumas das obras de Paulo Freire. A exposição é aberta ao público e ficará no hall de entrada da biblioteca até o final do mês de outubro.

sábado, 26 de novembro de 2016

5ª Mostra Ecofalante de Cinema Ambiental


Tipo: Mostra
Data:
01/12/2016 - 14:00 a 17:00
Local:
Casa do Lago da Unicamp
Convidados:
  • Luciano Pereira (FE-Unicamp)
  • Vitor Hugo Toni (IE-Unicamp)
Realização:
Ecofalante
Apoio:
Associação dos Docentes da Unicamp (ADUnicamp), Casa do Lago da Unicamp e Unicamp
A Mostra Ecofalante de Cinema Ambiental, maior festival de cinema com essa temática no Brasil, chega à Universidade Estadual de Campinas (Unicamp) no dia 8 de novembro com um projeto inédito. Até 1º de dezembro, a cidade universitária recebe, em dois locais de exibição, 16 sessões de filmes e seis debates com docentes e pesquisadores da instituição. A programação é gratuita e aberta para estudantes, funcionários e público geral.
Os filmes foram selecionados por professores do Instituto de Economia (IE), da Faculdade de Engenharia Civil, Arquitetura e Urbanismo (FEC), do Instituto de Filosofia e Ciências Humanas (IFCH) e do Núcleo de Estudos de População (NEPO). São produções contemporâneas, de diversos países, que conversam diretamente com temas pesquisados na universidade, especialmente relacionados às cidades, como especulação imobiliária, planejamento urbano, gestão de recursos hídricos, expansão do agronegócio, automatização nas relações de trabalho, mudanças climáticas, entre outros. As sessões acontecem na Casa do Lago e no auditório da Adunicamp.
Fechando o circuito teremos duas sessões de A Experiência Cecosesola. O filme nos apresenta Cecosesola, uma cooperativa na Venezuela que funciona há maus de 50 anos num sistema de auto-gestão, sem hierarquias, salários iguais e rotatividade de cargos. Atualmente envolve mais de 1200 associados e gere supermercados populares, feiras, transporte, serviços funerários e outras cooperativas. Na sessão das 14h, Luciano Pereira, professor na Faculdade de Educação da Unicamp, e Vitor Hugo Tonin, doutorando no IE, participam do debate com o público.


sexta-feira, 25 de novembro de 2016

Políticas Educacionais e Formação de Professores

Tipo: Palestra
Data:
30/11/2016 - 14:00 a 18:00
Local:
Sala da Congregação (Térreo, bloco E)
Convidados:
  • Prof. Dr. Luiz Carlos de Freitas (FE-Unicamp)
  • Katia Curado Pinheiro Cordeiro da Silva (FE-UNB e Pós-Doutoranda no LOED)
Realização:
Laboratório de Observação e Estudos Descritivos (LOED/FE-Unicamp)

quinta-feira, 24 de novembro de 2016

Entre a pena e a baioneta: Louise Michel e Nadezhda Krupskaia, educadoras em contextos revolucionários

Tipo: Comunicação
Data:
01/12/2016 - 15:30 a 18:00
Período de inscrições:
18/11/2016 - 08:00 a 30/11/2016 - 23:00
Local:
Sala de Defesa (2º andar, bloco C)
Convidados:
  • Profa. Dra. Samantha Lodi-Corrêa (FE-Unicamp)
Realização:
Grupo de Estudos e Pesquisas "História, Sociedade e Educação no Brasil" (HISTEDBR/FE-Unicamp)

quarta-feira, 23 de novembro de 2016

Documentário "Lute como uma Menina"

Tipo: Exibição de filme
Data: 30/11/2016 - 19:00 a 22:00
Período de inscrições: 23/11/2016 - 08:00 a 29/11/2016 - 23:00
Local: Salão Nobre (1º andar, bloco E)
Convidados:
  • Beatriz Alonso
  • Flávio Colombini
Realização:
Fórum da Diversidade da FE-Unicamp

segunda-feira, 21 de novembro de 2016

Seminário Internacional de Pesquisa | Dilemas de nuevas culturas de producción de conocimiento


Tipo: Seminário
Data:
23/11/2016 - 08:30 a 25/11/2016 - 18:30
Local:
Salão Nobre (1º andar, bloco E)
Convidados:
  • Profa. Nora Lanfri
  • Profa. Sonia Araujo
  • Profa. Lucia Beatriz Carcía
  • Profa. Estela M. Miranda
  • Rosana Elisabeth Zalazar Giummarresi
Realização:
Laboratório de Políticas Públicas e Planejamento Educacional (LAPPLANE/FE-Unicamp)
Apoio:
Universidad Nacional del Centro de la Provincia de Buenos Aires, Universidad Nacional de Córdoba, Universidad Nacional de Asunción

domingo, 20 de novembro de 2016

ANPAE divulga nota contra a PEC 241

Para associação, proposta desastrosa para as políticas sociais do país deve ser rejeitada pelo Senado

17/11/2016 | Atualizada 17/11/2016 - 16:11
Associação Nacional de Política e Administração a Educação (ANPAE) divulgou nota pública sobre a PEC 241 (PEC 55 no Senado), proposta de emenda constitucional que pretende congelar por 20 anos o teto de gastos em áreas sociais. 

Leia abaixo o texto completo da nota ou acesse pelo site da ANPAE - http://www.anpae.org.br/website/noticias/347-nota-publica

NOTA PÚBLICA
A Associação Nacional de Política e Administração da Educação (ANPAE) vem a público se manifestar sobre a Proposta de Emenda Constitucional nº 241, PEC 241 (Senado: PEC 55/2016), que institui um Novo Regime Fiscal para o país que, na prática, significa o “congelamento” dos investimentos com a construção de escolas públicas, entre outros equipamentos sociais que garantem a materialização dos direitos sociais, nos próximos 20 anos.
A aprovação da PEC 241 (Senado: PEC 55/2016) será desastrosa para a educação, saúde, seguridade social e para os programas sociais desenvolvidos no âmbito federal, estadual e municipal, com a alteração na dinâmica dos fundos de participação realizado pela União aos demais entes federados Inexplicavelmente a PEC não apresenta limitação ao pagamento dos juros, encargos e amortização das dívidas interna e externa, o que nos permite concluir que aquelas pessoas e empresas possuidoras de condições materiais para serem credoras do país – os mais ricos – terão prioridade para receberem os recursos obtidos pelo crescimento da arrecadação de impostos, além da inflação, ao longo dos 20 anos de congelamento nos setores orçamentários que atingem a maioria da população brasileira – os mais pobres.
Nos próximos 20 anos, até 2036, a população brasileira terá um acréscimo em torno de 20 milhões de pessoas e só esta informação já seria o bastante para mostrar o absurdo da metodologia proposta na PEC – “congelar” os recursos aos valores aplicados em 2016. Estudos já realizados pela Câmara dos Deputados, pelo Senado Federal, pelo Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (IPEA) e por pesquisadores da área de educação mostram o poder de diminuição dos recursos sociais caso as mesmas regras estabelecidas pela PEC 241 estivessem em vigor há mais tempo.
A ANPAE reafirma, portanto, que a PEC 241 (Senado: PEC 55/2016) deve ser rejeitada pelo Senado Federal, pois ela inviabilizará o Plano Nacional de Educação, o PNE (2014-2024) e promoverá maior desigualdade social, maior concentração de renda e recrudescimento da qualidade de vida daqueles que são mais vulneráveis.
ANPAE
Brasília, 26 de outubro de 2016.

sábado, 19 de novembro de 2016

Documentário baseado em tese da FE pode concorrer ao Oscar.

Menino 23 - Infâncias perdidas no Brasil  retrata a trajetória de meninos negros submetidos ao trabalho escravo em fazenda paulista


  • Imagem: Globo Filmes
  • Capa do documentário. Imagem: Globo Filmes
"Menino 23 - Infâncias perdidas no Brasil" é uma das produções a disputar a indicação ao Oscar 2017 na categoria documentários.  O filme retrata a trajetória de cinquenta meninos negros submetidos ao trabalho escravo nos anos 1930 em uma fazenda no interior do estado de São Paulo simpática ao ideário nazista. Ele conta com depoimentos inéditos de dois dos sobreviventes - Aloísio Silva, o "menino 23", e Argemiro Santos. 

Produzido por Belisário Franca, o documentário é baseado na pesquisa de doutorado de Sidney Aguilar Filho "Educação, autoritarismo e eugenia: exploração do trabalho e violência à infância no Brasil (1903-1945)", realizada na FE-Unicamp sob orientação da professora Ediógenes Aragão Santos.

A lista de indicados ao Oscar 2017 deve ser divulgada em 24 de janeiro.



SINOPSE

A partir da descoberta de tijolos marcados com suásticas nazistas em uma fazenda no interior de São Paulo, o filme acompanha a investigação do historiador Sidney Aguilar e a descoberta de um fato assustador: durante os anos 1930, cinquenta meninos negros e mulatos foram levados de um orfanato no Rio de Janeiro para a fazenda onde os tijolos foram encontrados. Lá, passaram a ser identificados por números e foram submetidos ao trabalho escravo por uma família que fazia parte da elite política e econômica do país, e que não escodia sua simpatia pelo ideário nazista. Aos 83 anos, dois sobreviventes dessa tragédia brasileira, Aloísio Silva (o “menino 23”) e Argemiro Santos, assim como a família de José Alves de Almeida (o “Dois”), revelam suas histórias pela primeira vez.

FICHA TÉCNICA

Diretor: Belisario Franca
Roteiro: Bianca Lenti, Belisario Franca
Direção de Fotografia: Thiago Lima, Mário Franca
Direção de Arte: Rogério Costa
Edição: Yan Motta
Som: Ivanildo Silva
Produção: Maria carneiro da Cunha
Produção Executiva: Cláudia Lima
Música: Armand Amar
Fotografia: Thiago Lima, Mário Franca, Lula Cerri

sexta-feira, 18 de novembro de 2016

Prof. Dermeval Saviani ganha Prêmio Jabuti

"História do Tempo e Tempo da História: Estudos de Historiografia e História da Educação" é o segundo colocado da categoria Educação


  • Detalhe da capa do livro
  • Capa do livro
O professor Dermeval Saviani, da Faculdade de Educação da Unicamp, é autor de uma das obras vencedoras da 58ª Edição do Prêmio Jabuti, promovido pela Câmara Brasileira do Livro (CBL). O livro “História do Tempo e Tempo da História: Estudos de Historiografia e História da Educação” (Autores Associados) conquistou o segundo lugar da categoria Educação e Pedagogia. A publicação reúne textos escritos e pronunciados por Saviani em conferências da área entre 1998 e 2014. 

Veja abaixo os vencedores da categoria Educação e Pedagogia. Ou acesse para conhecer todos os premiados nas 27 categorias.

A cerimônia de entrega do Prêmio Jabuti acontecerá em 24 de novembro, no Auditório do Ibirapuera, em São Paulo.

Categoria Educação e Pedagogia

1º Lugar – Título: Redesenhando o Desenho – Educadores, Política e História – Autor(a): Ana Mae Barbosa – Editora: Cortez Editora

2º Lugar – Título: História do Tempo e Tempo da História: Estudos de Historiografia e História da Educação – Autor(a): Dermeval Saviani – Editora: Autores Associados

3º Lugar – Título: Juventude e Pensamento Conservador no Brasil – Autor(a): Katya Mitsuko Zuquim Braghini – Editora: EDUC – Editora da PUC-SP / Fapesp

sábado, 12 de novembro de 2016

1. Ensaio do Quadro Negro: conexões possíveis sensíveis da educação.(Marta Catunda e Ivan Fortunato)
2. A B C dos encontros sonoros:entre cotidianos da educação ambiental (Marta Catunda)